domingo, 1 de setembro de 2013

POEMA Nº - 079 - SONHO

Não sei, nunca vi teus passos
Não conheço seu balanço
O som do teu riso, mas é amplo
Não sei a textura do seu cabelo
O olhar escuro só pelo espelho
Mesmo sem respostas te caço

Acabo que me embaraço no teu silêncio
Mas insisto na harmonia dos teus traços
É um bem querer distante
Que brilha sempre antes
Que vênus na minha tarde perdida
É um exagero sempre na medida

Nunca doeu, antes se faz prazer
Nunca amanheceu comigo nas noites de insônia
Como uma das tantas sentinelas do meu sono
Mas soa uníssono como um assovio no ar
Deve ter asas ocultas de fogo
Não conheço seu cheiro, mas me faz sonhar

Ela é um tom de Fá maior as vezes sustenidos na minha sinfonia


Autoria: Marcelo Moro
Imagem: Internet
Arquivo: MULHER 155





2 comentários:

  1. SONHO é um belíssimo poema do meu amigo, Poeta Marcelo Moro. Publiquei-o aqui, em meu Blog, em homenagem ao amigo e por ser um dos seus Poemas que eu mais gosto.

    ResponderExcluir
  2. Poetisa de belíssimos poemas não se atem apenas a sua obra como compartilha com seus fãs, a beleza de outros! Belo compartilhamento!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!