sexta-feira, 6 de setembro de 2013

POEMA Nº 089 - SUBMISSÃO

Gosto quando, de mansinho me chegas,
Olhar devassando o meu todo
Espreitando-me...
Gosto quando vens
E me tomas docemente
E me provocas com este teu olhar de lança
E me domas...
E me puxas os cabelos
E me dobras os joelhos
E me fazes beijar os teus pés!
Sou tão tua...
Gosto de sentir tuas mãos firmes...
 as vezes rudes... as vezes dóceis
Em carícias tirânicas e açoites tão doces...
Gosto de sentir o teu gosto
De sal, acre e mel...
O gosto da tua vitória
Sobre minha rendição.
Sou tão tua...
Gosto quando me vendas, me atas, me algemas
E me joga no leito
E de todo o teu jeito,
Usufruis do que é teu
Por direito!
Sou tão tua...


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: SUB 25

4 comentários:

  1. Poema fortíssimo, de uma sensualidade a flor da pele.A fêmea gosta de ser acuada, de ser usada, pois é isto que lhe dá o maior prazer. Profundo e muito bonito. Parabéns poetisa. Seus poemas, como sempre, fenomenais.

    ResponderExcluir
  2. Amor só se for assim: EXTREMO! De emoções fortes. Amor meio termo não tem graça...

    A poetisa desceu fundo na sensualidade. Belíssimo poema. Gostei!

    ResponderExcluir
  3. Hot!!!! esse poema, super sensual,parabéns.
    Te seguindo aqui, bjs
    http://angelimcosmeticos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!