domingo, 15 de setembro de 2013

POEMA Nº 102 - SAUDADE, BICHO DOIDO... DOÍDO!

Saudade,
bicho que corrói o peito,
Que mexe e deixa doído tudo por dentro
E deixa a gente com um gosto
amargo na boca
E uma vontade de chorar baixinho,
feito criança.
Saudade é vontade
De chamar o teu nome com cuidado,
Para que outros não ouçam.
Saudade é vontade de criar asas
E se deixar levar pelo vento
A flutuar docemente
E cair nos teus braços
Para nunca mais ter saudade
De você, meu amor!


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Anjo 20

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!