sábado, 14 de setembro de 2013

POEMA Nº 096 - LOUCA PAIXÃO DESMEDIDA!

Soluços na alma.
Incalma.
Dor que inflama o peito
e entorpece os sentidos
Saudade sangrando no peito
de sonhos perdidos
em luminuras do destino, em fráguas,
feito pedras que as águas
de um rio caudaloso leva
para longe das suas margens
ao fundo...
Pobre alma em desalinho a chorar
por um ladrão de amor...
E por adorá-lo faz-se eterna amante!
Pele reclama pele
nessa forma de amar
tão intensa e tão errante!
Carícias que explodem quasares na alma
neste louco querer!
Coração pergunta: por quê?
A loucura me domina
 Não há rendição para a alma
senão entregar-se!
Paixão tem que ser assim
um sofrimento sem fim
Paixão insana impregnando as vísceras!
Rouba a razão. Mas, para que razão?
Dane-se!
Vibrar nos braços da vida
Sentir loucamente
o pulsar do tresloucado coração
e o sangue a latejar as artérias...
É imperativo viver com intensidade
Na paixão, tudo é superlativo,
com ânsias de entrega e recebimento
por puro merecimento!
Paixão assim, é tão pouco o tempo
para tudo o que se quer viver!
Permita-me, meu Deus,
que eu viva muito ainda,
pois quero louvar demasiadamente
a vida que me deste,
nos braços de uma PAIXÃO desmedida.
Pois que, isto é VIDA!


Autora: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Casal 101

Um comentário:

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!