domingo, 15 de setembro de 2013

POEMA Nº 103 - RETALHOS I

Palavras perdidas em nervuras de ventos
Soltas em pensamentos
Em busca do verso raro,
Abstrato, fluido, caro
Derramando-se em líquido lácteo
De alumbramentos e espantos
Por entre os meus seios brancos!

Imagem: Internet



Vagueia a minha lânguida e lírica alma
Entre tulipas vermelhas e brancos lírios...
Não se acalma nem desiste
De procurar pelos teus olhos
De quebrantos e encantos
Que na curva dos meus descaminhos
De mim, se perderam
Deixando-me triste!




Imagem: Internet


Teus dedos em chamas
Percorrem-me as curvas,
Suavemente,
Despertam-me correntes
Elétricas, incandescentes,
Provocando labaredas
A incendiar-me os poros...
Entrego-me a ti,
 Enlouquecidamente!





Autoria: Lavínia Andrill
Imagens: Internet




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!