sexta-feira, 30 de agosto de 2013

terça-feira, 27 de agosto de 2013

CANÇÃO Nº 051 - IT TAKES TOO LONG TO LEARN TO LIVE ALONE

POEMA Nº 078 - ESTEIO

Meu querido e eterno amor
Meu sereno e precioso amor
Não deixe que a dúvida se apodere do seu lindo coração.
Amo e te amarei por todo o sempre
Pois este amor tem sido nosso esteio
Por muitas e muitas vidas
Estaremos sempre juntos por todas as eras.
É o nosso destino infinito
Nossas luzes só reluzem se estivermos conectados
Na mesma tomada.
Não há espaço para receios
Por que simplesmente somos uno.
Mas, meu querido amor
Embora nossas almas sejam gêmeas
INSEPARÁVEIS!
Os corpos são distintos
O teu corpo não é meu
O meu corpo não é teu.
Por isto prezo a liberdade que te dou
Por te amar muito, deixo-te livre
Livre para tuas escolhas, tuas buscas
Teus encontros, teus prazeres
Que necessariamente, não precisam ser os meus.
Prezo esta liberdade.
E a defenderei sempre.
Entendo porque não pensas como eu
Entendo e aceito.
Embora este meu aceitar
Me poe prisioneira do teu pensar
E presa de alma por opção
De corpo por obrigação
Não me sinto viva em
PLENITUDE!


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Anjo 16

POEMA Nº 077 - REINVENTANDO SÓIS

Andamos reinventando sóis
dentro de nós.
Não é por acaso que somos assim
feitos desta mesma argila rara
que são moldados
os grandes amantes da historia.
Arte desenhada
em luminuras de suores em nossas peles
Na geografia dos nossos corpos
em entregas e ofertas
num despertencimento sem fim.
Assim somos nós
perpassando universos
recriando infinitos
em Versos
e risos
e gozos
e desvarios
de deuses
eleitos:
Baco
Afrodite
Eros
nós dois, deuses, 
no Olimpo de nossos corpos!




Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Lauri Blank




segunda-feira, 26 de agosto de 2013

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

POEMA Nº 076 - MÚSICA, VINHO E... TANGO!

Um homem,
Um bom vinho e... 
Um Tango!
Um homem que me tome em seus braços
E, sutilmente me leve a flutuar pelo salão
Ao som de uma bela melodia
Rodopiando em passos,
Ora lentos,
Ora rápidos
Mente e corpo tomados pela mistura inebriante
De uma bela música
Um saboroso vinho...
E uns braços ousados a me enlaçar,
A me conduzir
Fazendo-me flutuar
Na dança...
Tango!
Trago o Tango na alma!
Tango!





Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Casal 69

POEMA Nº 075 - MULHER DE CANÇÕES E VERSOS

Mulher de canções e versos.
Mulher para quem a vida se torna maior
Se vivida liricamente,
Num alumbramento
de belas canções de paixão e amor.
Nelas, perde-se, encontra-se.
No encanto das palavras que abortam
O verso absoluto e a rima rara.
Mulher dominada pelas emoções da poesia
Que se escondem no mais recôndito da alma
E explodem através dos poros.
Mulher que despreza a razão em assuntos do coração.
Sonhadora romântica com ânsias de liberdade.
A melancolia dos amores proibidos, amores distantes,
Amores impossíveis de ser... Pura sedução!
Sentimentos da alma e clamores da carne
Na pura entrega de si mesma
Buscando nas palavras,
O êxtase dos prazeres desmedidos,
Dos amantes irracionais e destemidos
Numa sinfonia de vozes
No infinito dos êxtases incontidos...
Sem receitas, Sem crenças, Sem regras,
Sem certo,  Sem errado... Sem culpas.
Apenas na dimensão do amar sem limites,
Do dar-se sem medidas e do receber sem frescura.
Na loucura da entrega
Numa simbiose de sentimentos,
Em busca do prazer infinito!
 Unicidade! Mulher.
Absoluta no seu jeito de amar!





Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

POEMA Nº 074 - AMOR VIRTUAL... AMOR BONITO...

O que sinto por ti, menina,
Não é uma aventura banal, sem valor
Nem aventura é, este meu amor
Que veio chegando sem se prenunciar
E de repente sentiu uma vontade imensa
De se anunciar
Pois já não mais cabiam segredos
Nem se permitiam mais medos
Do que poderia ser.
Os teus sinais já eram muito claros para mim
E os meus, embora sutis
Deixavam nas entrelinhas o que eu já sentia por ti.
Desde então, nossos sentimentos tem-se misturados
De modo vibrante, exponenciais
E em tão pouco tempo nos transformou
Em dois antigos amantes
Sem se quer termos nos tocado!
Nossos dedos não se encontraram
Mas trocamos carícias imensas...
Nossos lábios insaciados por não se tocarem,
Beijam-se, em pensamento...
  E nossas almas se sentem beijadas...
E assim caminhamos de peito aberto
Nossos corações cada vez mais perto
Vamos nos amando
Nos querendo muito
Nos desejando
E neste desejar constante e crescente
Vamos calmamente,
Mas não menos apaixonadamente,
Sonhando com o dia
Que poderemos nos encontrar...
E enfim, podermos nos olhar...
Nos tocar... nos abraçar...
Nos beijar...
Nos amar... 
Amar o amor que já amamos
Mas de forma concreta
Podermos amar...


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Boca e Beijo 22

POEMA Nº 073 - TEUS OLHOS

Sento-me frente a ti...
Teus olhos subtraem-me do nada
Tão translúcidos!
Tão fatais estes teus olhos!
Resistir, não há como!
Prendem-me. Mergulho neles.
Não há mistérios nestes teus olhos.
 Eu os desvendei.
 Um a um.
Teus olhos, faróis dos meus descaminhos.
Da minha alma insólita, inquieta, ambivalente.
 Louca!
Meninos travessos que brincam
Decifrando meus obscuros quereres
E saciá-los...
Como se fossem dois mancebos a servir-me
Infinitamente. Sem tréguas.
Teus olhos...
Meus. Tão somente, meus!
Quedo-me neles.
Querubins de mim!
Teus olhos, minha perdição!
Teus olhos, minha salvação!
Teus olhos...
Tão servis...
Tão meus.


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: HOMEM 1

POEMA Nº 072 - MEUS SEGREDOS SÃO TODOS TEUS

Esta tua voz, tão doce e tão lúbrica,
Derrama pétalas em meus ouvidos
Sussura-me obscenidades
Que me arrepiam a pele
E me faz melíflua aos teus carinhos...
Estas tuas mãos inquietas, 
Ágeis, ousadas, decididas,
Desbravam caminhos
Já percorridos pela tua luxúria.
Caminhos meus...
Tão teus...
Esta tua lubricidade acende desejos inconfessos
No mais recôndito dos meus segredos
Que tão bem já conheces!
Conheces todos os meus segredos,
Dados a ti, um a um... 
Conhece-os!
Pois que, de guardião deles eu te fiz
Guardião dos meus segredos!
Despe-me a alma
Que se desnuda aos pés dos teus caprichos
Mais divinos e mais sombris,
E me fazem escrava de ti, 
Em delícias sem fim!
DOM absoluto! 
De mim!

Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: SUB 24

POEMA Nº 071 - EU QUERO UM AMOR ASSIM

Eu quero um amor assim
Que sonhe com melodias que toquem a alma
Que flutue comigo na letra de uma bela canção
Que fale das coisas do coração
Que leia nos meus olhos o encantamento
Que as belas canções me proporcionam!
Eu quero um amor que dance comigo
Que flutue comigo ao som de uma indelével melodia
Que se transporte comigo a um mundo imaginário
De belezas sem fim, de amores delirantes...
Eu quero um amor que me fale aos ouvidos
Palavras que eu gosto de ouvir
Que me faça sentir uma mulher
Absoluta, deusa, bela, desejada, única!
Eu quero um amor que saiba afagar os meus cabelos
E que desenhe o meu rosto com a ponta dos seus dedos
Docemente...
Tocando os meus lábios...
Suavemente,
Murmurando palavras desconexas,
Roucamente...
Para depois,
Impetuosamente
Aperta-me e beijar-me
Loucamente
E fazer amor comigo...
Selvagemente!

Numa celebração e contemplação divinas!


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo:Casal 70

CANÇAO Nº 48 - TORNERO



NESTE VÍDEO TEM VÁRIAS CANÇÕES. E BELÍSSIMAS! RECOMENDO AOS AMIGOS DEIXAR O VÍDEO CORRER SEM INTERRUPÇÕES E VOCÊS SE DELICIARÃO COM ESTAS MELODIAS SABOROSAS. VALE A PENA! UM PRESENTE AOS OUVIDOS! RELAXEM, FECHEM OS OLHOS E DEIXEM A IMAGINAÇÃO CORRER LIVREMENTE... SE POSSÍVEL, SONHEM... LEVITEM... É O QUE FAÇO SEMPRE QUE OUÇO BELAS CANÇÕES!!!

POEMA Nº 070 - PAIXÃO DELIRANTE QUE ABRAÇA MINHA ALMA

Lembranças
De um amor que abraça todo o meu ser!
Paixão delirante, doce enlevo que inebria minha alma,
E aprisiona o meu corpo no mais puro prazer!
Delírios vividos em teus braços 
Quando te amei.
O meu olhar absorto se perde na linha
De um horizonte que deixei pra trás
Ficando por lá a razão do meu sonhar.
Saudade de um riso leve que tanto me encantou.
Levo em minha alma e em meu coração
Este grito preso que não posso abortar
Pois é secreto este meu amar.
Amor que mata e enlouquece...
Estou longe dos teus carinhos...
Vivo num misto de prazer e dor, tristeza e alegria!
Em doce loucura, fez-se minha lucidez.
Desejar o que está longe me faz sofrer.
Você...
Razão desta minha insensatez.


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Fantasia 3

POEMA Nº 069 - MEUS OLHOS ALCANÇAM AS ESTRELAS

Dia após dia, morrendo lentamente,
Corroída pela angústia que de mim se apoderou
Nada há a fazer para vencer a inércia
Que entorpece os sentidos
Embotados pela ausência do acontecer
Espero uma réstia de luz no final
Do sombrio e longo tempo.
Tenebrosas curvas teimam
Impor barreiras
Ao meu passar.
A estrada é tortuosa e os obstáculos
Interpõem-se a minha frente
Está cada vez mais difícil transpô-los.
Sofregadamente continuo,
Com a teimosia da qual foram feitos
Meus neurônios
Que nunca desistem,
Embora uma tempestade torrencial
Desaba sobre mim
Aprisionando este ser teimoso!
Tento me livrar dos tentáculos
Do monstro do abismo que quer me envolver
E me arrastar para ele.
Mas, o que é o abismo,
Se os meus olhos alcançam as estrelas,
E o infinito é a minha morada?
O grito que transpassa a minha garganta se eleva!
E atinge o olimpo onde,
Existe uma chance efêmera de
Deus, finalmente,
Me escutar!


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Diversos/Imagem 27

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

CANÇÃO Nº 047 - ARRANJUEZ, MON AMOUR



BELO DEMAIS!

POEMA Nº 068 - TEU CORPO

Eu quero transitar no teu corpo moreno
Percorrer as regiões estranhas
 em busca de descobertas novas...
Quero sentir tuas mãos
Por entre elevações e depressões
Do meu corpo...
Sentir teu hálito quente queimar-me as carnes.
Possuir-te de poro a poro
Numa perdição sagrada
E por ti ser possuída, vulcão em erupção.
Possessão total...
Mentes em busca do mesmo fim
- a entrega absoluta - corpo e alma!
Eu quero vibrar nos teus braços
Fazer-te chegar ao delírio
A perda da razão
Ser fêmea desmedida, insaciável e insana, em ti, 
No teu corpo, em tua alma...
Senti-lo macho, incontido, enlouquecido, em mim, em 
Meu corpo, em minha alma...
Respirar cada milímetro da tua pele
Sentir-te
Solver-te,
Tragar-te.
Chegar a loucura suprema do mais absoluto êxtase
E, enlouquecidos, entre céu e inferno,
Transmudarmo-nos em deuses!


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem:Intenet
Arquivo: Casal 72

POEMA Nº 067 - VIVER EM TI

Quero, ter o sabor de coisas novas
Através do teu encontro.
Quero, sentir novas vibrações no pulsar do teu ser.
Quero, vidas novas no teu corpo, na tua mente.
Quero, que me dês abrigo no calor dos teus braços.
Quero, viver transitando por teus poros suados
Sonhar, acariciando tua pele macia,
Teu corpo moreno que me embriaga
Como um narcótico.
Ter a certeza que és meu, que sou tua... 
Quero, sentir teu hálito quente nas carnes vencidas,
Embalar-me no teu ressonar
Enquanto dormes, tranquilo, ao meu lado.
Quero, entrelaçar as pernas às tuas
E senti-las dormentes sob teu peso.
Quero, provar o sabor amargo da tua boca
Quando acordares.
Quero, viver em ti
E no fim do caminho
Morrer por ti
Ou contigo...


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Beijo 6

CANÇÃO Nº 046 - MON AMOUR, MON AMI



MON AMOUR, MON AMI

Você, meu amor, meu amigo,
Quando eu sonho é com você
Meu amor, meu amigo,
Quando eu canto é para você
Meu amor, meu amigo,
Eu não posso viver sem você
Meu amor, meu amigo,
E eu não sei porque
Eu nunca conheci outro alguém como você
Se eu conheci eu não me lembro
Eu tenho um coração que sabe quando tem razão
E desde então ele tem o seu nome
Meu amor, meu amigo,
Quando eu sonho é com você
Meu amor, meu amigo,

POEMA Nº 066 - VEZO? VÍCIO!

Se a espera é cruel e dilacera
Se a angústia tortura e queima
E o desejo grita em mim,
Que fazer?
- Que fazer se não tenho teus olhos? 
Que fazer se o vazio veio com a noite fria
E esta chuva a confundir-me
Com teus passos na calçada?
Por que não tenho o teu retorno
Teus lábios murmurando: "Cheguei"?
Como arrancar do peito
Esta saudade, esta dor, este sofrer?
Vem!
Meu mundo é feio desde que o abandonaste
Não!
Não penses que eu me acostumei
A ausência do teu corpo
A ausência da tua voz
A ausência do teu cheiro!
Vem,
Quero novamente sentir
A energia nas pontas dos teus dedos
A luz dilatando-te as pupilas
O mistério do teu fascínio
- Teu amor arisco!
Vem,
Tu me acostumaste
A não viver sem ti!


Autoria: Lavinia Andrill
Imagem:Internet
Arquivo: MULHER 65

POEMA Nº 065 - MOÇO GOSTOSO

Que posso fazer com você, moço,
Que chega e se entrega 
Se despe de qualquer reticência
E se mostra sem pudor para mim?
Que posso fazer com você, moço,
Se tua pele quente e morena
É meu pecado, minha perdição?
Como posso fugir, moço,
Se meu corpo se amolece
E a malemolência vem
Quando te vejo chegar?
Aonde irei, moço,
Se meus passos procuram os teus
E meu olfato segue teu cheiro?
Como viver, moço,
Sem esse teu cheiro
Que me viciou?
Moço, 
O que fazer se eu o amo tanto
E não posso ter você?
Moço,
Vem...


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: HOMEM 3

CANÇÃO Nº 045 - L'EXCESSIVE



 L'EXCESSIVE

EU SOU EXCESSIVA

( Carla Bruni)

Eu não tenho uma desculpa,
É inexplicável
Até mesmo inexorável,
Não é pelo êxtase, é que a existência,
Sem um pequeno extremo, é inaceitável,
Eu sou excessiva,

Eu gosto quando isso desequilibra,
Quando tudo acelera,
Eu, eu permaneço relaxada,
Eu sou excessiva,
Quando tudo explode,
Quando a vida se exibe,
É um transe encantador.

Alguns se excedem, outros que se irritam,

Alguns exigem que eu entre no eixo,
Alguns exclamam que é um complexo,
Alguns se excitam com todos estes " X " no texto

Eu sou excessiva,

Eu gosto quando isso desequilibra,
Quando tudo acelera,
Eu, eu permaneço relaxada,
Eu sou excessiva,

Quando tudo explode,

Quando a vida se exibe,
É um transe encantador, (sim).
Eu sou excessiva,
Eu gosto quando isso desequilibra,
Quando tudo exagera,
Eu, eu permaneço relaxada,
Eu sou excessiva,
Excessivamente alegre, excessivamente triste,
É lá que existo.
Mmmm, sem desculpa!Sem desculpa!