quinta-feira, 19 de setembro de 2013

POEMA Nº 111 - FEÉRICA QUERÊNCIA

Arde em mim uma feérica querência
Ir muito além do que sou...
Mais do que me é permitido...
Nada posso fazer.
Meus olhos transpassam as estrelas,
Meus braços são curtos...
Não posso alcançá-las!
Alma minha, insólita, inquieta,
Alumbra-se diante dos teus mistérios
Universo de mil faces!
Minha pequinez me arde...
Quedo-me ao incognoscível.
Temporariamente.



Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet
Arquivo: Mulheres 46

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!