terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Poema nº 160 - REMEXENDO SOLUÇOS E RECORDAÇÕES


Saudade formigando tudo...
Remexendo vísceras e coração...
Deslizando goela adentro
Feito tamarindo azedo travando dentes.
Intragável fumaça de paiva de fumo de rolo
Pulmão sem ventos.
Espinho de laranjeira espetando dedo.
Saudade dilacerando tudo...
Remexendo soluços e recordações...
Embaçando olhos (órbita em) metacentro
Pimenta ardida, retina.
Saudade assim mata a gente...
Cupim corroendo por dentro;
É sal que desce dos olhos e arde face e seca boca.
Revoar de borboletas ocres num rastro de azinhavre
Gemidos de ventos aos meus ouvidos
Gelo na alma (incalma).
Saudade... Loba em uivo desvairado.



Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet



2 comentários:

  1. Menina...tua SAUDADE ficou pra lá de linda !
    Parabéns !
    Já sou teu fã. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, amigo, muitíssimo obrigada! Volte sempre!

      Excluir

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!