sexta-feira, 29 de julho de 2016

POEMA 256 - MUITO ALÉM DE VIAGENS

Quiser'eu saber das cousas de além-mar
de além-céu, de além-vida.
Plainar por mundos de belezas absurdas.
 Viajar... pra fora de mim...
Fazer de viagens, meu destino
Provar as delícias do desconhecido
e adormecer no colo das novidades.
Conhecer rincões, mares, montanhas, flores e amores...
Desbravar as artérias de uma cidade, seus encantos, seus mistérios,
seus becos, suas ruelas, seus medos...
Verter sabores na mesa e na cama
nunca dantes provados.
Apenas sonhados.
Viajar... pra dentro de mim...
despertar meus albores, aceitar meus crepúsculos
entender o deus e o demônio
que dão-se as mãos e de mim riem...
Mas me amam.
Viajar... para muito além do inimaginável
sem a pretensão de entender.
Apenas... viajar.


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet

Um comentário:

  1. Querida Lavínia Andrill teus poemas são embalados no vagar do pensamento e no caminhar tortuoso e sensual de tua alma. A alma de poetisa existe e está muito além da alma da mulher e acho isso admirável.Parabéns!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!