domingo, 28 de fevereiro de 2016

POEMA 244 - PECADO ORIGINAL, FRUTO SATÂNICO

Quem há de não se envolver
neste jardim de promessas e delícias
onde satã seduz
com o fruto pecaminoso
abençoado pela luxúria
- delicia aos nossos sentidos
de damas mundanas -
Insaciáveis. Incorrigíveis.
Ah, as putas da historia,
Cleópatra, Esmeralda, Madame Pompadour,
 Teodora de Bizâncio,  Egipcíaca,  Victorine,
 musas e putas,
dentre tantas outras irmãs do vício,
 que na sarjeta se atiram
por puro deleite de suas almas profanas
prenhas de carnalidade!
Paixão pela lascívia proibida
que consomem as carnes
e corrompem os sentidos
desvairados, incontidos,
numa dança louca
onde deus e demônio
tentam lhes possuir.
A quem nos entregar
Senão aquele que maior prazer
 proporcionar!
Prazer intenso , desmedido
que deixe suas marcas
no corpo e na alma
De uma mulher
que se sente
deusa
e nasce
santa
e vive
e morrerá
Puta.
Apenas para o deleite
de todos os seus sentidos!


Autoria: Lavínia Andrill
Imagem: Internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!