domingo, 26 de abril de 2015

POEMA 232 -SOU TÃO EXCESSIVA...

Da vida eu quero
o querer desmedido
a paixão desvairada
o desejo incontido
na louca madrugada.
Que não sejam céleres
as indomáveis horas
no assombro do gozo
no arrepio da carne
em êxtase e frenesi
na ânsia louca
da carnuda boca. 
Sou tão excessiva...
O muito para mim
é tão pouco...
Da vida eu quero
Dó ré mi
fá sol lá si!


Autora: LavíniaAndrill
Imagem: Internet


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim! Obrigada por comentar!